05 fevereiro 2008

O imprevisto - Amita


Sem pressões
Nem compaixões
Segui absorta voando
Pelo tempo em lonjura tornado
Partindo e regressando
De quando em quando
O incógnito ser humano no casulo enclausurado
Sem temores
Nem sentidas dores
O desconhecido aguardando
Ausente de mim, do rodeante, das gentes
Mirantes indiferentes
A caixa imóvel num canto do nada, esperando
Vi-te
Sorri-te
Contido calor d’um abraço
Em mim sonoros falares brotaram
Entre sorrisos, espantos, jorraram
A ave sem asas voava, sem amarras, sem um laço
Ternos olhares
Doces tocares
Química atracção
Instantânea, inconsciente, deslizante
Em segundos, horas, num instante
A música da pauta saiu, leve, tornada libertação

O imprevisto - Amita

Amadíssimo Senhor

uma terça bem gostosa
sempre com os meus sorrisos felizes,
meus abraços encaixadinhos de paixão
e meus doces e demorados beijos, maduros de desejo...

SUA maria da luz

6 comentários:

Bird disse...

Que delicia seu espaço.
Você é linda

Me visite depois

Mestre disse...

queriducha Maria

cheguei agora de muitas aventuras com o meu veleiro pelos verdes mares das nossas praias
noooosssa, como pensei em tu
como gostaria que tu fosse comigo navegar
beijussss

Mestre NavegaDor

Anónimo disse...

estava preocupado consigo, minha menina.
Ficou vários dias sem colocar nada novo no blog, mas depois pensei, está em férias...
já sabe se precisar de um ombro amigo conte comigo

Feitor

Sir Stephen e SUA maria{SS} disse...

Querido Bird

vc é sempre gentil e adoraria visitá-lo, mas não deixou o endereço do seu blog.
beijos

maria{SS}

Sir Stephen e SUA maria{SS} disse...

mestre Navegador

obrigada pelo convite... vc é sempre um querido, mas meus mares são outros... e só navego com o meu Senhor
beijos

maria{SS}

Sir Stephen e SUA maria{SS} disse...

Querido Feitor

Fazia tempo que não aparecia por aqui.
Fico muito feliz em ver seu comentário.

beijos

maria{SS}